sexta-feira, 16 de outubro de 2020

Dia Mundial da Alimentação

 A alimentação


A alimentação tem de ser adequada

Senão doente vais ficar

Pensa no que os frutos podem fazer

ajudam-te a viver!


Se a cenoura comeres

Olhos bonitos vais ter

Se dos feijões gostares

Bastante podes crescer.


Se comeres uma banana

o teu organismo irás regular.

Tudo iá melhorar

-Vais ver!!!


A alimentação tem de ser boa

Para uma saudável vida teres

Tudo isto vais querer

Quando os começares a comer...


Bruna, nº4, 5º B, Escola da Sé

(aula de Português)




Dia Mundial da Alimentação

 Poema da Alimentação


Iniciamos neste poema

Um programa alimentar

Mas desde já avisamos,

Nossa meta meta é ensinar.


Para tu teres ciência

Do que precisas para correr

P'ra gozares de mais saúde

Evitando adoecer.


Não procurem nas farmácias

As vitaminas a obter

pois estão nos alimentos

Que todos devemos comer!


O que agora dizemos

Não é nenhum facto novo.

Pois  a escola se interessa 

Pela saúde do povo!!!


Rafaela, nº 20, 5º B, Escola da Sé

( aula de Português)



Dia Mundial da Alimentação

 Os alimentos


A alimentação dá-nos energia

é uma recomendação para todos os dias

Como sopa carne e peixe

e tu, assim, também devias...


Para ficar com força

e vontade de correr

como espinafres e mais legumes.

- também devias comer!!!

 

Rodrigo Cruz, 5º B, Escola da Sé

(aula de Português)





 

quinta-feira, 15 de outubro de 2020

Outono

 O outono já deu os primeiros sinais. Os alunos do 4º ano da Escola Básica do Bairro da Luz escreveram sobre eles, organizaram bonitos acrósticos.












As crianças são mais felizes quando brincam ao ar livre

 Em contexto de pandemia, o ano letivo iniciou rodeado de precauções, procedimentos de higiene redobrados e na mente de toda a comunidade educativa persistia a dúvida, o receio e o medo da propagação da Covid 19.

As crianças regressaram ávidas de ação, de liberdade, brincadeira, e essencialmente da proximidade dos colegas. Não questionaram as máscaras nem as rotinas de higienização dos espaços, equipamentos e materiais pessoais, o importante era regressar, estar, comunicar, brincar…

No Jardim de Infância da Póvoa do Mileu a sala de atividades cresceu, perdeu as paredes e as atividades educativas cruzaram-se com as brincadeiras ao ar livre:

“É necessário "desconstruir a pandemia do medo" e dar liberdade às crianças, sobretudo aos mais novos, para que voltem a brincar e a tocar-se…. Os professores devem criar contextos para que todo o corpo da criança, não só o cérebro, participe na aprendizagem, combatendo assim os meses de sedentarismo e inatividade física.” Prof. Carlos Neto

J. I. Póvoa do Mileu









segunda-feira, 12 de outubro de 2020

RECOMEÇO…

 

RECOMEÇO…


O outono já chegou

Com ele a escola também

Vamos aproveitar ao máximo

Não se sabe o que aí vem…

 

Entre o aprender e o brincar

Na escola queremos estar

Com os professores e amigos

É tão bom regressar!

 

Votos de um bom ano letivo para todos.


“Os nossos mochos de outono” – Educação Artística

 

Escola Básica de Alfarazes

Alunos do 3.º e 4.º anos de escolaridade

Imagem, Ezequiella Telles

segunda-feira, 5 de outubro de 2020

5 de outubro - Dia do Professor

 Acorda cedo, sai às pressas

para chegar na hora certa,
ele é o professor.

Na escola ele ensina:
Geografia, Português,
Matemática, História, Inglês
e espera o resultado
em ver todos aprovados.

Ele é o professor.

Se dedica com amor
à profissão que abraçou,
pois desde cedo queria
ter um espaço na vida
e ser um grande professor.

Aqui fica o meu recado,
por tudo, muito obrigado,
pelo que foi ensinado
por você, meu professor.

thamirys
Imagem: correio do Sorraia

sexta-feira, 31 de julho de 2020

Mesmo à distância… Finalistas, 2020!

Mesmo à distância…

Finalistas, 2020!




No Centro Escolar do Vale do Mondego, não quisemos deixar de assinalar o termo do ano letivo com os finalistas do 4.º Ano. De forma simbólica, à entrada da Escola e cumprindo as medidas sanitárias, a professora Elsa Cascais entregou aos alunos a capa de finalistas e uma mensagem de despedida, gesto que arrancou sorrisos e olhares brilhantes.  

Projeto Grupo de Pais na Surdez (GPS)

O nascimento de uma criança com surdez é geralmente uma situação inesperada e assustadora, principalmente no seio de uma família de pessoas que ouvem. Os pais não estão preparados para receber um diagnóstico de surdez do seu filho e interrogam-se, como lidar com a falta de comunicação e as representações sociais de uma sociedade que ainda está num processo de aceitação da diferença. Não obstante, esta é a realidade da maior parte dos pais com filhos surdos. Não raras vezes, estas famílias sentem-se isoladas, dado que algumas das suas necessidades não se assemelham às demais, procurando uma nova identidade. É então necessário que os sistemas de saúde, educativo e social lhes proporcionem um acompanhamento de proximidade. A surdez é uma condição muito variável e com diversas especificidades. Assim, as equipas devem tentar apoiar estes pais, fornecendo-lhes ou facilitando-lhes o acesso ao maior conhecimento possível, bem como o suporte emocional devido.

Sendo o Agrupamento de Escolas da Sé a entidade de referência para o ensino especializado de crianças com surdez, sentimos como equipa especializada, a necessidade de criar uma resposta para as famílias das crianças que acompanhamos e que vão desde o ensino pré-escolar até ao secundário. Assim, surgiu o projeto “Grupo de Pais na Surdez (GPS)”, cujo objetivo seria a constituição de um espaço de suporte emocional, de divulgação de informação especializada, de interação entre pais e profissionais, de capacitação parental e de melhoria da dinâmica pais/escola, bem como escola/comunidade. Estes princípios tiveram como base o consenso internacional de práticas recomendadas na intervenção precoce para a surdez (Moeller, M., Carr, G., Seaver, L., Stredler-Brown, A. E Holzinger, D., 2013) e no Decreto-Lei nº54/2018.

Após o interesse manifestado pelas famílias, avançamos para a primeira sessão do projeto que se deu em formato presencial. Foram discutidos assuntos afetos ao percurso educativo dos alunos e os pais expuseram as suas necessidades e sugestões para a melhoria do funcionamento da Unidade de Referência de Educação Bilingue (UREB), bem como atividades a desenvolver pela equipa. A partir daí foram eleitos os temas a integrar nas sessões para o ano letivo em vigor. Posteriormente, a equipa efetuou os devidos contactos com diversas entidades da comunidade que poderiam dar resposta às necessidades emergentes. Para nossa grande satisfação, constatámos uma elevada concordância das mesmas. Todavia, com o aparecimento da pandemia, não foi possível dar seguimento a algumas delas.

Não obstante as adversidades causadas pela nova realidade que nos avassalou, decidimos em conjunto com as famílias dar continuidade ao projeto GPS, mas numa modalidade à distância. Assim, tivemos o prazer de contar com duas das convidadas: a Dr.ª Melissa Cravo, audiologista do CED Jacob Rodrigues Pereira, e a Dr.ª Tatiana Louro, psicóloga e coordenadora do 5 Sentidos. A primeira falou-nos acerca de vários aspetos relacionados com a surdez, nomeadamente dos apoios sociais disponíveis e de tecnologias auditivas, de uma forma muito enriquecedora. A segunda ministrou uma sessão acerca da retoma da nova realidade, abordando estratégias para lidar com situações adversas e esclarecendo dúvidas e receios, o que constituiu um ótimo momento de partilha.

No final, realizámos uma sessão de reflexão com recolha de opiniões e sugestões para o próximo ano letivo, na qual apresentamos um questionário de satisfação de preenchimento anónimo com uma componente quantitativa (perguntas de resposta fechada) e qualitativa (perguntas resposta aberta e mais descritiva), elaborado para o efeito.

O retorno que obtivemos dos pais através do questionário foi muito positivo. Em primeiro lugar, o facto de todos terem respondido foi um bom indicador de envolvimento no projeto. Depois, parece-nos que aprovaram a sua qualidade ao concordarem totalmente ou bastante com as questões relacionadas com a estrutura do projeto, com a utilidade das suas sessões, com a proximidade que este proporcionou entre pais e profissionais e com a importância da sua criação e do enriquecimento pessoal facultado. Abaixo encontram-se dois gráficos exemplificativos destas respostas distribuídas numa escala de Likert de 5 níveis (1- Discordo totalmente; 2- Discordo Pouco; 3- Concordo; 4 - Concordo bastante; Concordo totalmente) às quais responderam as 5 famílias participantes (Gráfico 1 e Gráfico 2).

Gráfico 1 Aproximação entre pais e profissionais



Gráfico 2 Importância da criação do projeto


Concordaram que os profissionais da UREB tiveram um bom desempenho (Gráfico 3), estiveram atentos às suas necessidades e demonstraram capacidade de adaptação às novas circunstâncias. Assentiram também que a coordenação da educação especial e a direção demonstraram a sua colaboração.

Gráfico 3 Desempenho dos profissionais da UREB


Quanto aos aspetos de que mais gostaram no projeto, destacaram-se os relacionados com a vertente informativa e emocional. Dentro da primeira, enalteceram os temas abordados, a possibilidade de esclarecerem as dúvidas, bem como a qualidade das sessões. Na segunda, elencaram a proximidade entre pais e profissionais, o contacto com vários pais e o apoio emocional. Para além disso, na globalidade, não houve menção a aspetos negativos.

Finalmente, todas as famílias referiram que querem participar no projeto para o próximo ano letivo.

Numa nota menos positiva, lamentamos que não tenha sido possível realizar algumas das sessões inicialmente programadas. Porém, os contactos efetuados não terão sido em vão, uma vez que tivemos oportunidade dar a conhecer a realidade da UREB e das famílias que acompanhamos a outras entidades importantes na comunidade. Para além disso, o estabelecimento destas pontes poderá facilitar futuras colaborações. Também gostaríamos de aumentar o número de famílias no GPS, embora tenhamos contado com a maioria.

Partimos para este projeto porque acreditamos que a participação dos pais no processo educativo dos filhos promove a sua autodeterminação e capacitação. Adicionalmente, consideramos que maiores níveis de informação possibilitam tomadas de decisão mais esclarecidas e assertivas. Para além disso, sentimos que a visão parental acerca da UREB permitirá uma melhoria do seu funcionamento e um maior nível de satisfação e confiança nos serviços prestados. Assim, esperamos que este projeto tenha permitido fazer dos pais aliados na partilha de responsabilidades e conhecimentos, de forma a promover um maior bem-estar familiar. 

Concluímos que o projeto GPS obteve dos envolvidos um alto grau de satisfação, nomeadamente pela participação, colaboração e envolvência dos pais e de toda equipa da UREB. Dado que foi considerado uma mais-valia de grande impacto na educação dos seus filhos e consequentemente na comunidade educativa, é desejo de todos a sua continuidade, com atividades que tenham reflexo no sucesso educativo dos seus educandos.

Agradecimentos:

Agradecemos a disponibilidade e colaboração da Dr.ª Melissa Cravo (audiologista do CED Jacob Rodrigues Pereira), da Dr.ª Tatiana Louro (psicóloga e coordenadora do 5 Sentidos, Espaço de Reabilitação e Intervenção Psicoeducacional, Lda), do Dr.º Rui Correia (psicólogo do IEFP da Guarda) e da Professora Dr.ª Odília D. Cavaco (psicóloga do Gabinete de Apoio ao Aluno do Instituto Politécnico da Guarda)

Referências:

Moeller, M., Carr, G., Seaver, L., Stredler-Brown, A. E Holzinger, D. Best Practices in Family-Centered Early Intervention for Children Who Are Deaf or Hard of Hearing: An International Consensus Statement.  Journal of Deaf Studies and Deaf Education. 2013

Decreto-Lei n.º 54/2018

Inês Dinis e Salete Bento

Unidade de Referência de Educação Bilingue do AE Sé

Guarda, julho de 2020

domingo, 26 de julho de 2020

Dia dos Avós



 Avós

Sem os avós
Nós não existíamos
Sem os avós
 não aprendíamos

Os avós fazem-nos rir
Os avós fazem-nos sorrir
Os avós fazem-nos felizes
Quando tu dizes:

- Avós, por favor,
Ajudem-me,
Eu quero divertir-me

Os avós são doces
Os avós são amorosos
Os avós são maravilhosos

Mafalda Dias dos Santos, ex 6º D
(Escola da Sé)

Dia dos avós


Poema para os avós

Avós que amo
que me apoiam e ajudam
o vosso carinho
ajuda-me no meu caminho.

Muita gente
não os quer por perto
mas, para vós
o meu coração está sempre aberto.

Têm paciência
cuidado e amor
sempre apoiam
nos momentos de dor.

Como podem existir netos
que não gostam dos avós?
eles são importantes
para todos nós.

Carlos Barreira, ex-6º B  (Escola da Sé)



sábado, 4 de julho de 2020

E@D história 3

A história do Dr. Vacina
        Esta é a história de um investigador virologista, de seu nome Dr. Vacina.

sexta-feira, 3 de julho de 2020

E@D história 2

Texto de opinião sobre a “COVID 19”
Devido à grave pandemia que ultimamente nos tem chamado à atenção, tenho, assim como todos os outros, que ficar em casa!

quarta-feira, 1 de julho de 2020

E@D história 1

Diário de uma infetada:
Terça-feira 10:13h
Oi, diário! meu nome é Mary, e tenho 12 anos. Hoje vim falar sobre a situação que estamos  a viver.

sexta-feira, 26 de junho de 2020

Feitiços caseiros


Um distrito, dois concelhos e catorze famílias em contacto diário, construindo uma rede de laços, de partilha e de comunicação.
Todos no mesmo barco ou a união faz a força, nunca foram frases tão verdade como hoje.
Em tempo de pandemia as famílias tiveram tempo de descobrir atividades prazerosas para fazer com as crianças.  Mascararam medos e angústias e fizeram magia dentro de portas.
Com tanta sorte, a neve fez uma visita coletiva no dia 31 de março e despertou vontades comuns…vestiram-se os casacos, puseram-se os gorros e…todos para o quintal!!! Bem embrulhadinhos, construíram bonecos de neve e partilharam diferentes formas de fazer…criatividade e sorrisos no quintal. Os mais pequenos, viram e tocaram neve pela primeira vez em tempo de confinamento.
Todos num ecrã aplaudindo o esforço das nossas crianças e famílias que perceberam a importância do GRUPO e valorizaram afetos estabelecidos na sala de aula.
Quebraram-se rotinas, tremeu o corrimão de segurança das famílias e inventou-se uma nova maneira de viver o HOJE. O telemóvel passou a ser ferramenta indispensável para reunir crianças e famílias, falar e mandar fotografias e filmes em tempo mais ou menos útil.
Conseguimos fazer trabalhos de grupo e marcámos presença em diversas solicitações!!!
Conseguimos partilhar dúvidas, ansiedade, alegrias e sucessos!!
Conseguimos manter vivo o espírito de grupo das nossas crianças!!
Conseguimos tirar vantagem do isolamento imposto pelo coronavírus!!
Conseguimos fazer feitiços…e estamos de parabéns.

Ema Mateus
Jardim de Infância de Panóias.

quarta-feira, 24 de junho de 2020

A nossa marcha






(imagem, fórum Luísa Todi)


(adaptar a música de “Cheira bem, cheira a Lisboa”)

Refrão
Finalmente acabaram as aulas
É verão, vivam as férias
Já podemos todos bater palmas
É verão, vivam as férias!

1
Este ano foi bem complicado
Uma coisa jamais esperada
«Fique em casa» foi recomendado
Ficaram os pais com toda a pequenada!

2
Veio depressa o 3º período
E com ele, o ensino à distância
#EstudoEmCasa pró miúdo e o graúdo
Também os avós regressaram à infância!

3
Usar máscara e as mãos lavar
Regras simples que vamos cumprir
Em setembro iremos voltar
E sem Covid, queremos sorrir!


Boas férias!

Helena Pedro
06/2020

terça-feira, 23 de junho de 2020

Com a Música Aprendo Mais e Melhor


No âmbito do Projeto "Com a Música Aprendo Mais e Melhor" que decorreu ao longo do ano na EB Sequeira, mostramos algumas imagens representativas das atividades que foram realizadas durante os 1º e 2º períodos (presencialmente) e em E@D ao longo do 3º período. 

Professora Helena Pedro


Ensino presencial- leitura de uma partitura não convencional com instrumentos de percussão - Aula na Turma 4ºC  



·  Ensino presencial -  ritmo  de um poema com figuras rítmicas convencionais- 3º e 4º anos



·  Ensino à Distância - Montagem de esquema da Orquestra Sinfónica-Turma 3ºA





Ensino à Distância - Construção de um Pau-de-chuva - Turma 3ºC







sábado, 20 de junho de 2020

A Escola

Escola é…
o lugar onde se faz amigos
não se trata só de prédios, salas, quadros,
programas, horários, conceitos…
Escola é, sobretudo, gente,
gente que trabalha,
que estuda, que se alegra, se conhece, se estima.
O diretor é gente,
o coordenador é gente,
o professor é gente,
o aluna é gente,
cada funcionário é gente.
E a escola será cada vez melhor
na medida em que cada um
se comporte como colega, amigo, irmão.
Nada de ilha cercada de gente por todos os lados.
Nada de conviver com pessoas  e depois descobrir
que não tem amizade a ninguém
nada de ser como o tijolo que forma a parede,
indiferente, frio, só.
Importante na escola  não é só estudar,
não é só trabalhar,
é também criar laços de amizade,
é criar ambiente de camaradagem,
é conviver, e se amarrar “nela”.
Ora, é lógico…
numa escola assim
vai ser fácil estudar, trabalhar, crescer,
fazer amigos, educar-se, ser feliz.
(Paulo Freire)

Como será a escola amanhã?
Como seremos amanhã?
Para que tudo possa ser como antes, e não o Novo Normal, sejam cautelosos, conscientes e cívicos!!